Os benefícios e malefícios do uso da internet por crianças e adolescentes

O uso da tecnologia por crianças e adolescentes é um tema que vem sendo explorado por várias áreas. De um lado, há pesquisas que apontam os benefícios dessa relação, do outro, alguns estudos mostram seu impacto negativo. Embora às pesquisas sejam antagônicas, elas concordam no ponto de que o uso das tecnologias por crianças e adolescentes deve ser regrado, fiscalizado e combinado com os pais.

Recentemente espalhou-se a notícia de que uma figura conhecida no mundo virtual como “Momo” estaria aparecendo em meio a vídeos destinados ao público infantil no YouTube, o conteúdo destas aparições ensinava às crianças a se cortarem e as estimulavam ao suicídio. Verdade ou não, isso é apenas um exemplo do quão vulnerável fica uma criança quando faz o uso da internet sem a fiscalização dos responsáveis.

As pesquisas também chamam atenção para a questão do sedentarismo, evidentemente que após um significativo aumento do uso de computadores, vídeo games, tablets e smartphones, as crianças acabaram deixando de lado brincadeiras que colaboravam para o desenvolvimento físico, com isso o sedentarismo se faz presente. Por outro lado, alguns estudos que apontam os benefícios do uso das tecnologias por crianças, tiveram como resultado o aumento do conteúdo verbal e do vocabulário. Os pesquisadores revelaram que crianças que fazem o uso da internet possuem uma escrita mais rica devido a possuir um vocabulário extenso aprendido na rede. Na linha da questão da escrita, há a ressalva de que, crianças que ainda não foram alfabetizadas e que já fazem o uso de celulares e computadores, podem apresentar dificuldade maior no processo de alfabetização, pois em sala de aula a ortografia e pontuação são rigorosas em vista de como se escreve automaticamente na internet.

Com relação aos adolescentes, o CGI.Br (Dados do Comitê Gestor da Internet no Brasil), destaca que o uso do mundo virtual para fins  de redes sociais e troca de mensagens instantâneas, é muito maior do que o uso para pesquisas escolares, tudo é feito com muita agilidade, deste modo contribui-se para uma geração de adultos com baixo interesse nos estudos, pouco contato social físico e ansiedade.

Já em relação à quantidade de informações disponíveis pelo uso da internet, ao mesmo tempo em que se exercita o sistema auditivo, visual e emocional, usuários regulares da internet aumentam o desenvolvimento da área cerebral que é responsável pela tomada de decisões e resolução de problemas. Em contrapartida após o prolongamento deste uso, as informações passam a ser captadas pelo cérebro de forma superficial, muito se vê, mas pouco  se mantém  na memória.

Para os pais de crianças que ainda estão iniciando no mundo das tecnologias orienta-se que o uso tenha objetivo definido, seja ele de diversão ou de aprendizagem. Atualmente temos pais que desdobram-se entre o trabalho, vida pessoal e criação dos filhos, entende-se a dificuldade, mas a internet de forma alguma deve ser utilizada como uma terceirização de cuidados, tanto da criança, quanto do adolescente.

Com os adolescentes, o processo de mediação é muito mais complexo, pois estes conhecem muitas formas de burlar o monitoramente dos pais e passam ainda mais tempo em uso de tecnologias. Uma conversa franca, a fiscalização do tempo, do conteúdo e a observação do comportamento podem servir como um bom aliado.

A notícia da Boneca Momo veio como um alerta em relação a todo conteúdo em que uma criança pode ficar exposta quando acessa a internet. Esse exemplo é  de apenas um conteúdo. Os pais que possuem um bom diálogo com seus filhos tem muito mais chances de receber informações da criança quando se depara com um conteúdo inadequado, do que uma criança que é sempre punida severamente. Cuida-se muito para que uma criança aprenda a atravessar a rua, a não falar com estranhos, a estudar e então por que há uma tranquilidade tão evidente de grande parte dos pais em relação ao uso da internet pelos filhos?

O uso das tecnologias veio para facilitar muitas questões do dia a dia, porém tanto as crianças, quanto os adolescentes e adultos, em sua maior parte do tempo, não estão fazendo um uso adequado, nem em termos de frequências, nem tem termos de conteúdo. 

Referências Bibliográficas 

Comitê Gestor da Internet no Brasil: CGI.Br. TIC Kids online Brasil. 2014: pesquisa sobre o uso da internet por crianças e adolescentes no Brasil. São Paulo: CGI.Br; 2015. [acesso 2017 Abr 17]. Disponível em: http://

www.cgi.br/media/docs/publicacoes/2/TIC_Kids_2014_livro_eletronico.pdf

HANAVER, F. J. Impacto da informática nas relações humanas. 2005. Disponível em: Acesso em: 01 nov. 2014 

SILVA, Thayse de Oliveira; SILVA, Lebiam Tamar Gomes. Os impactos sociais, cognitivos e afetivos sobre a geração de adolescentes conectados às tecnologias digitais. Rev. psicopedag.,  São Paulo ,  v. 34, n. 103, p. 87-97,   2017 .   Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862017000100009&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  28  mar.  2019.