Morre dono do “Verona”, Álvaro Caetano

Sepultamento será neste sábado, 20, às 16h30.

Álvaro Caetano estava com 62. Ele era proprietário do tradicional restaurante Verona, no Centro de Artur Nogueira, desde a década de 70. Álvaro veio a óbito na madrugada deste sábado, 20. Segundo informações de familiares, Caetano estava internado no Hospital Beneficência Portuguesa, em Campinas, com problemas no fígado há cerca de 20 dias. Mas o problema acabou evoluindo para uma falência múltipla dos órgãos.

Álvaro Caetano é natural de Porto Ferreira, interior paulista. Ele se mudou com a família para Artur Nogueira,  no começo dos anos 70. De lá pra cá, vários familiares se tornaram comerciantes na cidade.

ENTERRO

O velório acontece neste momento em Artur Nogueira e o enterro está previsto para às 16h30 deste sábado, 20, no Cemitério Municipal da cidade.

 

MENSAGEM DA FAMÍLIA

Como será o amanhã sem você?

Não sabemos, mas seguiremos sempre em frente da mesma forma que nos ensinou e com a certeza que estará muito presente em todas as situações adversas dessa batalha, carregaremos você em nossa memória por toda a eternidade até o fim dessa jornada.

Além de pai, você foi o melhor amigo e a melhor mãe, trabalhamos juntos desde sempre no mesmo serviço por todos os dias de sua vida. Perdemos hoje um guerreiro trabalhador, fundamental e inestimável.


“Pai, mãe, avós, irmãos, primos, namorada, cachorros de estimação, peixinhos do rio, amigos de alma, amigos de boteco, ou até mesmo a própria solidão. O que define o que é família ou não, não é a consanguinidade, mas sim a predisposição de quem quer ficar do seu lado, cuidar de você e querer te ver feliz, acima de tudo.”


Assim consolidou-se e deixou o seu legado, com muito orgulho foi um bom pai e nosso grande herói!

“Faço isso há tanto tempo que este trabalho virou parte de mim” – Alvaro Caetano

Saudades eternas de Vitor, Juliana, Silzana e pequena Liz.

 

HOMENAGEM DO HOJE

O HOJE lamenta profundamente a perda para família, amigos e para toda a cidade. Que Deus dê forças a todos neste difícil momento da nossa realidade e mortal humanidade. Que Deus o receba de braços abertos.

Restaurante Verôna, 1.985   |  Imagem: arquivo da família