Como o estresse se manifesta em nosso corpo

Quando se fala na saúde de nossa mente, tudo que é em excesso acaba se tornando prejudicial. Estar exposto a uma situação estressante por um longo período, pode te deixar com cansaço mental, implicando em dificuldades de concentração, perda da memória de curto prazo, ansiedade, insônia e crises de humor.

Outras manifestações também podem acontecer, como alergias na pele, gastrite, úlcera, alteração no apetite e intestino solto. É preciso muito cuidado ao colocar a exaustão como a principal causa de algo, pois seus sinais podem ser facilmente confundidos com os de outras doenças que não necessariamente tem ligação com o estresse, ou seja, quando um determinado sintoma se mostra através do corpo, o estresse pode ser uma das possibilidades entre muitas outras, exames físicos precisam ser realizados para descartar hipóteses. Um exemplo claro de doenças associadas ao estresse mas que possui outras causas é o caso da Alopecia Areata, seu sintoma mais evidente é a queda total de cabelo em partes específicas, em formato de círculo ou oval, a doença possui causas genéticas, mas o estresse pode ser um fator de risco para que ela se manifeste.

E qual seria a relação do estresse com as reações físicas do corpo?

A resposta está na ligação entre o sistema imunológico, endócrino e neurológico, um reflete no outro, podendo resultar em baixa imunidade, abrindo caminho para uma série de manifestações corporais, provocando o desequilíbrio do organismo, pois o estresse faz com que o corpo funcione diferente, causando alterações na estrutura e composição química do corpo.

Embora duas pessoas estejam expostas as mesmas circunstâncias, cada uma delas reagirá de forma particular, a maneira como a pessoa lidou com as adversidades da vida ao longo do tempo, influência e muito na interpretação do evento estressor e nas reações frente a ele.

A causa atribuída ao estresse pode ser tanto de ordem interna (perfeccionismo, pressa) quanto externa (mudança, períodos de adaptação, doença, morte, entre muitos outros). É sempre bom ressaltar que todos nós passamos por períodos estressantes, eles são necessários para que possamos evoluir e buscar melhorias, porém quando ultrapassa nossa capacidade de adaptação, pode ocorrer vários problemas. Em um mundo no qual tudo é imediato é preciso urgentemente reconhecer os limites de nosso corpo e nossa mente.

Alguns cuidados básicos podem alavancar melhorias significativas para quem está com sinais de estresse. Atualmente tem-se a disponibilidade de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, fazendo com que as pessoas não se desliguem e não descansem de forma adequada, o não descanso da mente e do corpo certamente irá acarretar em problemas de concentração, memória e atenção, consequentemente afetando vários setores de vida. Uma alimentação adequada, exercícios físicos e momentos de relaxamento, são extremamente necessários e precisam ser adaptados a rotina, dentro da realidade e possibilidades de cada um.

A psicoterapia ou orientação psicológica, pode ser uma das opções para quem quer conhecer as maneiras de enfrentamento, e se aprofundar um pouco mais no autoconhecimento para ter clareza de como interpreta os agentes estressores e o que está dentro de seu alcance de propiciar mudanças.

 

Referências

Lipp, M. E. N. & Malagris, L. E. N. (2001). O estresse emocional e seu tratamentoEm: B. Range (Org.) Terapias Cognitivo-Comportamentais: um diálogo com a psiquiatria (pp. 475-489). São Paulo: Artmed.